Yakuza Zero – Review

Se você acha que  Yakuza Zero é um simples “GTA de olhos puxados” ou só mais um jogo de “porrada entre mafiosos”, está muito enganado.

O início de uma saga
Para aqueles que não conhecem a série Yakuza (Ryu ga Gotoku), essa é uma ótima opção para iniciar a aventura pois cronologicamente a história se passa antes do primeiro jogo, você irá conhecer o inicio da história de Kiryu dentro da Yakuza, quem já está familiarizado com a série irá reconhecer vários personagens importantes e descobrir diversas curiosidades.

A Série Yakuza recebeu uma ótima crítica pois aborda alguns temas ligados a cultura japonesa que não são vistos frequentemente na mídia como o código de honra do crime organizado, prostituição, drogas, comercio ilegal e tortura, de uma forma inteligente em um enredo bem trabalhado que cativa o jogador do começo ao fim.

Pelos trailers do jogo e sua temática, pode parecer um game muito sério e pesado, mas a Sega consegue mesclar durante o jogo situações descontraídas e muito bom humor sem afetar a profundidade do tema, tornando o jogo muito mais agradável e interessante para todo tipo de público.

Divirta-se nas noites de Kamurocho

O game se passa no Japão dos anos 80, a economia está crescendo e grandes empreendimentos estão surgindo nos grandes centros urbanos. Kamurocho é onde a história principal se desenrola, um bairro fictício baseado em Kabukicho de Tóquio, a cidade que nunca dorme, possui vários comércios mas o principal atrativo é a diversão noturna com seus bares, restaurantes, discotecas, karaokês e clubes de Strip.

O mapa a ser explorado em Yakuza Zero é pequeno se comparado a jogos de mundo aberto atuais, mas o nível de interatividade não deixa nada a desejar. Cada rua foi trabalhada para trazer a experiência de estar em Kabukicho, é possível entrar nos game centers e jogar jogos clássicos como Space Harrier ou Outrun, curtir uma música no Karaokê, participar de corridas de mini carros, ou até dançar a noite toda. inclusive muitas lojas e estabelecimentos são reconstruções reais. Cada mini game é muito bem feito e realmente dá vontade de voltar várias vezes para passar o tempo.

Entre na pele de um Yakuza

A História possui dois personagens principais, Kiryu Kazuma, um jovem membro da Yakuza que é acusado de matar um civil enquanto fazia uma cobrança, em busca do verdadeiro assassino acaba descobrindo que tudo está ligado a uma grande guerra entre gangues a fim de dominar o território de Kamurocho. O outro personagem é Goro Majima, um ex-Yakuza dono de um grande “Hostess Club” (um clube onde homens são atendidos por belas mulheres e passam a noite conversando e bebendo.), apesar de ser bem sucedido, seu maior desejo é retornar para Yakuza, porém, para conseguir voltar a fazer parte da família ele precisa matar um alvo a pedido de seu chefe.

Diferente do que parece, Yakuza Zero não é só pancadaria entre organizações criminosas ou praticar crimes pela cidade como no famoso GTA, o game tenta abordar mais a fundo a Yakuza e explorar temas como seu código de honra rígido, hierarquia e ideais. Diferente do que parece, o game não foca em praticar crimes ou sair batendo gratuitamente em todos que aparecerem na sua frente, boa parte do jogo você vivencia o dia a dia comum dos personagens, inclusive ajudando os moradores do bairro em suas missões secundárias e conhecendo suas histórias.

Pancadaria na medida certa

O sistema de luta é simples e divertido, cada personagem possui 3 tipos de combate e podem ser alternados a qualquer hora da batalha, cada modo pode ser muito útil para cada tipo de situação. é possível também utilizar objetos do cenário a seu favor, por exemplo, se o inimigo estiver perto da parede é possível agarra-lo e enfiar sua cara na parede, ou pegar uma bicicleta estacionada e sair girando para afastar um grupo grande de inimigos.

As batalhas acontecem durante eventos da história e também no próprio cenário do jogo, enquanto você está passeando pela cidade pode encontrar algum grupo de inimigos que variam de simples encrenqueiros até outros membros da Yakuza, essas lutas são uma ótima forma de obter dinheiro no inicio do jogo, você também pode tentar despista-los pelo mapa se escondendo ou até mesmo jogando dinheiro para o alto a fim de tentar criar um tumulto para conseguir fugir.

Além do jogo principal, há um modo em que são desbloqueados desafios em que o objetivo é derrotar vários inimigos em menos tempo ou coletar o máximo de dinheiro. Para os jogadores mais competitivos existe um ranking online para comparar as pontuações. Alguns dos mini games também podem ser jogados por mais de uma pessoa.

Prós:

  •  História interessante que prende o jogador do começo ao fim.
  •  Muito conteúdo para ser explorado, garantindo várias horas de jogo.
  •  Mini games bem feitos e missões secundárias interessantes.

Contra:

  •  Animações dos personagens um pouco “travadas”.

Yakuza Zero sabe como prender a atenção do jogador e principalmente sabe como entretê-lo. Sua história aborda temas muito interessantes e sua narrativa frenética prende o jogador do começo ao fim. Até mesmo as missões secundárias conseguem fazer você parar o que está fazendo e tentar ajudar os moradores, as missões são bem variadas como ajudar uma garota fingindo ser seu namorado para seu pai não arranjar um casamento, ou ajudar um estudante que desconfia que sua namorada está se prostituindo por dinheiro.

Uma curiosidade é que diversas garotas que você conhece no game são atrizes de filmes adultos japoneses de verdade. Ao ajuda-las é desbloqueado um vídeo da atriz real que pode ser assistido na loja de produtos eróticos. Talvez você até irá reconhecer algumas garotas que conheceu naquelas noites solitárias em frente ao PC…. ( ͡º ͜ʖ ͡º)

Nota: 9,0

Yakuza Zero

Yakuza Zero cedido gentilmente pela Sega para realização do Review.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WordPress Lightbox Plugin
Pular para a barra de ferramentas