Sword Art Online: Hollow Realization – Review

Sword Art Online: Hollow Realization foi lançado no dia 8 de novembro pela Bandai Namco Entertainment para PlayStation 4 além do portátil PlayStation Vita, e traz Kirito na companhia de todos os personagens já conhecidos das light novels e animes da série para uma nova aventura, incluíndo a introdução de uma nova protagonista neste novo RPG misturado com uma pitada de simulador de encontros.

Logo de início o jogador poderá criar o seu próprio personagem totalmente customizado da forma que preferir, permitindo escolher inclusive uma personagem do sexo feminino para substituir o protagonista Kirito. Durante o processo de criação, que apesar de ser limitado, o jogador também escolherá a sua arma preferida em que se tornará especialista.

Um ponto negativo deste modo fica para o fato de que durante a jogatina, não poderemos ouvir a dublagem original do personagem Kirito, caso seja feita uma mudança na voz durante o processo de criação de um char customizado. A boa notícia é que o player poderá desativar a dublagem de Kirito nas opções do jogo e assim ficar apenas com as legendas na tela quando ocorrerem cutscenes ou então durante a jogatina.

Uma mudança vista em relação aos jogos antecessores, será percebida logo no início do primeiro tutorial, onde Kirito se junta a Asuna, Silica e Lizbeth totalizando no número de 4 pessoas em uma party, aumentando o número em relação aos jogos de Hollow Fragment e Lost Song.

No início, o tutorial vai ensinar tudo o que o player vai precisar durante todo o jogo, como alguns comandos para a party ou então elogiar seus companheiros para que eles saibam como ajudar o protagonista da melhor forma possível. O jogo se mostra agradável até mesmo para aqueles que nunca jogaram os dois títulos anteriores da série, levando pouco tempo para que seja dominado por completo e posso assim progredir na história facilmente.

Aqueles que jogaram Hollow Fragment vão perceber algumas poucas semelhanças na jogabilidade de Hollow Realization, ainda que este primeiro tenha sido um título extremamente criticado por muitos jogadores por sua performance na versão disponível para o portátil PS Vita.

Durante o jogo, diversas cutscenes poderão ser assistidas para relembrar a história do arco Aincrad e também do arco Dança das Fadas, mostrada em ALfheim Online. A animação merece um destaque a parte, onde também será introduzida no início, uma nova personagem que estará presente durante a jogatina de Hollow Realization.

O combate em Hollow Realization se mostra ao mesmo tempo ser simples e complexo, com o uso de diversas técnicas em sequência em tempo real, ainda tendo que auxiliar seu companheiros de party para que a batalha possa ser concluída com mais rapidez e eficiência sem que o player sofra sozinho para eliminar seus inimigos. Uma sequência bem executada de combos aumentará o contador de danos e fará com que o player consiga causar quase o triplo de dano base nos mobs, fazendo com que seus ataques finais consigam tirar grande parte do HP, tomando cuido apenas com o revide dos monstros, que seram mostrados com um gráfico de cor vermelha no chão, mostrando a área que o ataque atingirá.

Assim como visto nos animes e também nos jogos anteriores, o player poderá dar o comando “switch”, que cancelará a ação atual e dará a chance de sua party executar algumas técnicas além de ataques críticos podendo ainda ativar uma técnica em série, criando assim poderosas sequências em conjunto com o seu personagem e sua party. A barra de skills possui um atalho alcançado facilmente com o pressionar de dois botões, porém ao decorrer da história, o jogador irá desbloquear novas skills e assim em pouco tempo já terá disponível diversas técnicas que devido ao alto número, só poderão ser acessadas em uma outra tela que para ativá-la terão que pressionar o touch pad do Dualshock 4 e ainda escolher a técnica com o direcional antes de pressionar mais um botão para a ativação final.

A história principal de Hollow Realization começará logo após o tutorial, onde o seu personagem poderá explorar o primeiro mapa de Ainground antes de retornar para a praça onde o teletransporte será utilizado com frequência para partir para as quests principais e secundárias. De acordo com a produtora, a duração da história principal tem entre 40 e 55 horas, o que atualmente se mostra uma duração decente de jogabilidade, podendo ser extendidos ainda mais se o jogador cumprir todas as quests secundárias e também perder mais um tempo melhorarando seu relacionamento com todas as personagens de SAO.

O relacionamento de seu personagem com todos os NPCs e também as personagens secundárias do jogo se mostrará muito importante com o decorrer da história. O protagonista poderá melhorar seu relacionamento com as personagens ao conversar por diversas vezes, onde uma barra de progresso será preenchida por cada vez que bater um papo com ela. Ao completar essa barra, o nível de relacionamento aumentará em um level, e assim o aproximando da pessoa. Quando estiver caminhando pelos mapas de Ainground, o personagem poderá ativar certos eventos quando aparecer um ícone acima da cabeça da personagem que estiver acompanhando, podendo assim tomar atitudes mais íntimas com elas, incluíndo carregá-las no colo pela cidade.

A Bandai Namco Entertainment merece destaque por localizar mais um jogo da empresa, onde disponibilizou para os jogadores do Brasil uma versão do jogo com legendas em português, facilitando a vida daqueles que não tem muito entendido do idioma inglês e assim dando a chance desses players também compreenderem toda a história do jogo.

A companhia também já anunciou que lançará conteúdo adicional em breve e também durante o ano de 2017, onde uma DLC paga extenderá a história por mais alguns capítulos, além de roupas e personagens adicionais.

Nota: 8,9/10

 

 

SAO: Hollow Realization

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pular para a barra de ferramentas