SÉRIE: Akiba’Spot no Japão

Japão! Um país de clichés contrastantes, terra que harmoniza o tradicional e o que há de mais moderno no mundo. Um local distante para brasileiros tanto fisicamente como financeiramente. E sonho de boa parte das pessoas de gerações pós anos 80, que cresceram assistindo Jaspion, Changeman, Cavaleiros do Zodiaco, Dragon Ball e Pokemon.

Para a grande maioria naquela época, quem viajava era a imaginação. O Japão nunca foi um roteiro comum para os ocidentais, tampouco havia interesse da grande mídia em divulga-lo (exceto em documentários cuja o foco era apresentar que o futuro era presente por lá – e nos distanciar ainda mais daquele lugar).

Um sonho bem mais acessível para a geração que cresceu vendo anime pela internet, principalmente pela absurda quantidade de informação disponível atualmente, e inúmeras maneiras de se concretizar-lo. Promoções em pacotes de viagens, popularização dos preços de passagens aéreas, bolsas de estudo. Mesmo que algumas dessas opções já existissem, poucos tinham conhecimento delas.

E por falar em conhecimento, aumentaram também as opções para se preparar para essa sonhada viagem. Não apenas houve um crescimento na oferta de cursos de língua japonesa, como também opções mais informais como cursos online e até mangás que ensinam através dos quadrinhos.

Então, você decidiu por qual meio irá viajar, afiou o nihongo e está 100% preparado. Correto? Talvez. Você sabe exatamente o que esperar do Japão? Já escolheu se vai para Tokyo, Kyoto ou Osaka? Ou os três? Ou nenhum e vai buscar uma experiência no interior nipônico?

Nesta série iremos falar um pouco das nossas experiências no Japão e como alguns (ou muitos) clichés foram quebrados, positivamente e negativamente. A ideia é apresentar cada um dos locais relevantes que já estivemos, detalhar suas características e contar algumas situações inusitadas que vivemos por lá.

É importante frisar que não há verdade absoluta, tirando fatos históricos, sobre cada lugar, comportamento das pessoas, etc. Cada experiência é única, a percepção é individual e possivelmente alguém que esteve nos mesmos locais que nós, no mesmo dia, teve uma ideia completamente diferente, baseada no seu gosto pessoal e background.

Dito isto, nosso compromisso é compartilhar de forma divertida um pouco do que vivemos nesse local mágico que, principalmente para nós brasileiros, parece ser de outro mundo.

Então até o próximo post.

Ja ne! ^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.