Punch Line – Game Review

Punch Line é um jogo originalmente de 2016, quando foi lançado no Japão. Em 2018 ele recebeu uma versão com legendas para a Europa e Américas, tendo sido disponibilizado no final de setembro para Ps Vita, PS4 e Steam. Baseado em uma anime de mesmo nome, Punch Line foi produzido pela MAGES Inc. e pela 5pb. Classificado como visual novel e aventura o jogo foi escrito por Kotaro Uchikoshi, que também foi responsável por outro game conhecido, Zero Escape.

Punch Line é uma adaptação bem completa do anime original, com cenas do anime sendo passadas a todo momento no game. Inicialmente podemos pensar que o jogo é só uma reprise do anime, mas no decorrer da história acabam acontecendo grandes mudanças, o que foi interessante pois deixou o jogo original. A jogabilidade é bastante simples se tratando de uma visual novel com alguns puzzles, sendo a animação dos personagens feita com modelos 3D.

No jogo o protagonista é um garoto chamado Yuuta, que desperta um estranho “poder” sempre que olha para a calcinha de uma mulher. Ele se transformou em um fantasma, quando sofreu um acidente e bateu sua cabeça, tendo sua alma arrancada de seu próprio corpo. Ele acaba acordando de volta em seu prédio, mas logo que acorda descobre estar perdendo seu corpo. Agora com a ajuda de um gato fantasma muito estranho, ele precisa encontrar um antigo livro chamado Nandara Gandara, para então conseguir unir seu corpo e alma.

Como um fantasma Yuuta precisa visitar os quartos de seu prédio, assustando seus vizinhos. Fazendo isso ele aumenta suas habilidades espirituais, podendo manipular mais coisas ao seu redor, ajudando assim a coletar fragmentos para poder então procurar uma maneira de voltar ao seu corpo. Os fragmentos espirituais são coletados com você derrubando ou movendo objetos em locais diferentes, para desencadear reações em cadeia. Derrubando uma nota ou derramando um pouco de sal, você conseguirá mudar a forma de como os eventos de uma cena se desenrolam, de modo que certos personagens vão para novos locais ou descobrem itens importantes que estavam esquecendo.

O ruim é que não possuímos muita informação do que fazer para coletar estes fragmentos, fazendo o jogo evoluir lentamente. Além disso,  descobrimos que se Yuuta olhar para a calcinha das personagens ele fará com que um meteoro colida com a Terra explodindo o mundo e reiniciado o tempo. Então a partir disso chegamos a conclusão de que a melhor opção é desviar a visão rapidamente quando se deparar com uma calcinha, ou podemos perder uma parte do progresso feito na história.

Punch Line é um jogo bonito, mas que peca em partes na sua animação e design. Mesmo tendo belas cutscenes animadas no momento do desenrolar do game a animação parece um tanto robótica, possuindo os personagens e ambientes do jogo um pouco “rústicos”.  Outro ponto que poderia ter sido melhor trabalhado são os ângulos de câmera para exploração dos cenários, que no caso são pré-determinados para escolher seus alvos. Seria bem mais interessante se houvesse a possibilidade de explorar completamente os ambientes, pois daria mais profundidade a história e maior ação ao jogo.

Pontos positivos:

  • Bom uso das cenas do anime no jogo
  • História estranha, mas divertida
  • Diversidade de personagens interessantes

Pontos negativos:

  • Ritmo de jogo lento
  • Ambientes do jogo limitados

previous arrow
next arrow
Slider

Não esqueça de curtir a página do Akiba’Spot no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WordPress Lightbox Plugin
Pular para a barra de ferramentas